Info Covid-19

O Centro Info Covid-19

INFORMAÇÃO COVID-19

Neste momento de crise sanitária internacional, apelamos ao sentido cívico de todos. Assim, se tiver febre - temperatura igual ou superior a 38oC - ou tosse ou dificuldade respiratória ou qualquer outro sintoma que não tinha antes, se está de quarentena ou se teve contacto com um doente infetado, não saia de casa e entre em contacto com a linha SNS 24 (808 24 24 24).

O atual contexto epidemiológico de SARS-CoV-2 e riscos associados de disseminação crescente da COVID-19 na comunidade determinam a necessidade de tomar medidas mais exigentes de proteção destinadas a reduzir o risco de contágio, em particular dentro de clínicas e consultórios, e de acordo com as recomendações da Direção Geral da Saúde (DGS) e as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Se por acaso tem uma consulta ou sessão de Haloterapia marcada e decidiu que não vai comparecer, por favor avise-nos por telefone o mais atempadamente possível. Desta forma, poderemos usar o tempo que deixou disponível para outros doentes que precisam.

INFORMAÇÃO COVID-19

Condições de acesso ao Centro

Pode vir ao Centro de Haloterapia de Aveiro para as suas consultas e tratamentos com toda a segurança e tranquilidade, pois tomámos todas as medidas para poder receber os nossos clientes.
• Fazemos a triagem e medimos a temperatura a quem entra no nosso espaço, tanto a clientes como aos profissionais. Salientamos que a temperatura não é registada.
• Ao entrar no Centro de Haloterapia de Aveiro deve vir já com a máscara colocada.
• Á entrada temos o dispensador de gel para desinfeção das mãos.
• Dispomos de duas salas de espera de forma a garantir a distância de segurança.
• Lamentamos, mas para sua segurança todas as revistas da sala de espera foram retiradas.
• Nesta fase deve evitar fazer-se acompanhar por terceiros, se isso não for estritamente necessário e urgente.
• No gabinete só deverá entrar o titular da consulta, sendo os casos de de exceção, menores de idade e pessoa com notórias dificuldades físicas ou cognitivas.


Condições de acesso à Haloterapia

Para agir de acordo com a situação excecional que estamos a viver e para o ajudar a sentir-se confiante e tranquilo, cada sessão de Haloterapia será unicamente para si. Alteramos a disposição da sala, retiramos as mantas e os brinquedos para as crianças, agora só dispomos de dois cadeirões, um para si e outro no caso de estar a acompanhar um menor.
. Como era habitual, terá de calçar os cobre sapatos e a touca descartável por questões de higienização da sala.
. Os dois cadeirões da Haloterapia, estão devidamente protegidos com lençol descartável, sendo unicamente para o seu uso individual.
. Continua a ser proibido comer ao beber dentro da sala de Haloterapia.
. No caso de se sentir mais confortável durante a sessão com uma mantinha, deverá trazer a sua de casa. O mesmo acontece com o brinquedo "especial"do seu filho.
. Ao entrar na sala de Haloterapia, terá de o fazer com a sua máscara de proteção, retirando-a só quando a sessão iniciar. Quando a sessão acabar, terá de colocar novamente a mascara para sair da Haloterapia e durante o tempo que pernacer no interior do Centro.

. Durante a sessão, se tiver necessidade de usar lenços de papel, agradecemos que estes permaneçam no seu colo. No final, assegure-se que traz todos os seus pertences.

. No final da sua sessão, toda a sala da Haloterapia será desinfetada através de nebulização com desinfetante multisuperfícies isento de cloro, com ação virucida, bactericida, leveduricida e fungicida, contribuindo para uma limpeza e desinfeção imediata após 60 segundos.


O que é o Novo Coronavírus?

O novo coronavírus, designado SARS-CoV-2, foi identificado pela primeira vez em dezembro de 2019 na China, na cidade de Wuhan. Este novo agente nunca tinha sido identificado anteriormente em seres humanos. A fonte da infeção é ainda desconhecida.
Ainda está em investigação a via de transmissão. A transmissão pessoa a pessoa foi confirmada e já existe infeção em vários países e em pessoas que não tinham visitado o mercado de Wuhan. A investigação prossegue.


Quais os sinais e sintomas?

Os sinais e sintomas da COVID-19 variam em gravidade, desde a ausência de sintomas (sendo assintomáticos) até febre (temperatura ≥ 38.0ºC), tosse, dor de garganta, cansaço e dores musculares e, nos casos mais graves, pneumonia grave, síndrome respiratória aguda grave, septicémia, choque sético e eventual morte.
Os dados mostram que o agravamento da situação clínica pode ocorrer rapidamente, geralmente durante a segunda semana da doença.
Recentemente, foi também verificada anosmia (perda do olfato) e em alguns casos a perda do paladar, como sintoma da COVID-19.


Os sintomas de COVID-19 são diferentes nas crianças e nos adultos?

Não. Os sintomas de COVID-19 são semelhantes nas crianças e nos adultos. As crianças mostram, de uma forma geral, sintomas mais ligeiros e parecem registar, em proporção, menos casos de doença. Os sintomas relatados em crianças são inicialmente idênticos às constipações, como febre, corrimento nasal e tosse. Nalguns casos, foram também reportados vómitos e diarreia. Ainda não se sabe se algumas crianças podem estar em maior risco de doenças graves, por exemplo, crianças com condições médicas subjacentes e necessidades especiais de cuidados de saúde. Há muito mais a aprender sobre como a doença afeta as crianças e estão em curso investigações nesse sentido.


A COVID-19 é o mesmo que gripe?

Não. Embora os vírus que causam a COVID-19 e a gripe sejam transmitidos de pessoa para pessoa e possam causar sintomas semelhantes, os dois vírus são muito diferentes e não se comportam da mesma maneira.
A doença COVID-19 é causada por um novo vírus que se designa SARS-CoV-2 e a gripe é causada pelo vírus influenza que circula na população há muitas centenas de anos. Ao contrário da gripe, para a COVID-19 a população mundial não apresenta qualquer tipo de anticorpos protetores ou imunidade. Desta forma, toda a população é suscetível à doença. Enquanto que para a gripe existe uma vacina e antivirais específicos para o tratamento, para a COVID-19 ainda se encontram em desenvolvimento.


Como se transmite?

A COVID-19 transmite-se pessoa-a-pessoa por contacto próximo com pessoas infetadas pelo SARS-CoV-2 (transmissão direta), ou através do contacto com superfícies e objetos contaminados (transmissão indireta).
A transmissão por contacto próximo ocorre principalmente através de gotículas que contêm partículas virais que são libertadas pelo nariz ou boca de pessoas infetadas, quando tossem ou espirram, e que podem atingir diretamente a boca, nariz e olhos de quem estiver próximo.
As gotículas podem depositar-se nos objetos ou superfícies que rodeiam a pessoa infetada e, desta forma, infetar outras pessoas quando tocam com as mãos nestes objetos ou superfícies, tocando depois nos seus olhos, nariz ou boca.
Existem também evidências sugerindo que a transmissão pode ocorrer de uma pessoa infetada cerca de dois dias antes de manifestar sintomas.


O dinheiro é um veículo de transmissão da COVID-19?

O dinheiro muda de mãos centenas ou até milhares de vezes durante a circulação, encontrando-se entre os objetos que, se for contaminado com vírus, ou outros microorganismos (como por exemplo, bactérias) pode servir de veículo de transmissão. Não será, no entanto, uma forma de transmissão comum da COVID-19. A higiene das mãos quando se manipula o dinheiro é uma boa prática que, independentemente do atual contexto de pandemia, deve ser sempre aplicada.


O que é um Contacto Próximo?

Um contacto (próximo) de um caso de COVID-19 é alguém que esteve exposto a um caso confirmado, ou a material biológico de um caso confirmado, dentro do período de transmissibilidade.
Os contactos de casos confirmados são classificados de acordo com o risco de infeção, associado ao nível de exposição, em exposição de alto e baixo risco. Esta classificação irá determinar o tipo de vigilância e de medidas a implementar.


Quem está em risco de doença por COVID-19?

O vírus não tem nacionalidade, idade ou género, por isso todos corremos o risco de contrair a COVID-19.
Ainda assim, as pessoas que correm maior risco de doença grave por COVID-19 são os idosos e pessoas com doenças crónicas (ex.: doenças cardíacas e doenças pulmonares).


Quais são os grupos considerados de risco para a COVID-19?

Os grupos de Risco para COVID 19 incluem:
• Pessoas idosas;
• Pessoas com doenças crónicas - doença cardíaca, pulmonar, neoplasias ou hipertensão arterial, entre outras;
• Pessoas com compromisso do sistema imunitário (a fazer tratamentos de quimioterapia, tratamentos para doenças auto-imunes (artrite reumatóide, lúpus, esclerose múltipla ou algumas doenças inflamatórias do intestino), infeção VIH/sida ou doentes transplantados).


O que são medidas de higiene e etiqueta respiratória?

Duas das medidas mais efetivas são a higiene das mãos e a etiqueta respiratória.
A higiene das mãos deve ser feita várias vezes ao longo do dia, antes e depois de comer, de ir à casa de banho, ao chegar a casa ou ao trabalho, ou sempre que se justifique. Deve lavar as mãos com água e sabão durante pelo menos 20 segundos, esfregando sequencialmente as palmas, dorso, cada um dos dedos e o pulso, secando-as bem no final. Caso não tenha acesso a água e sabão, desinfete as mãos com solução à base de álcool com 70% de concentração. Não se esqueça de remover anéis, pulseiras, relógios, ou outros objetos, antes da lavagem das mãos. Estes adereços deverão também ser higienizados após a sua utilização.

A etiqueta respiratória são medidas a aplicar para evitar transmitir gotículas respiratórias: quando tossir ou espirrar, proteja o nariz e a boca com um lenço descartável ou com o antebraço. Após a utilização do lenço descartável, deite-o imediatamente no lixo. De seguida lave de imediato, as mãos. Caso tenha utilizado o braço, lave-o, ou à camisola, assim que possível.


Tenho de usar máscara para me proteger?

O uso de máscaras é uma medida adicional de proteção, que deve ser complementar às medidas de distanciamento, higiene das mãos e etiqueta respiratória. A sua utilização é obrigatória em espaços públicos fechados, como transportes públicos ou estabelecimentos comerciais.

Para utilizar máscara de forma efetiva deve garantir que a coloca e remove em segurança.


Como devo colocar e retirar uma máscara?

Colocar a máscara:

• Lave as mãos com água e sabão ou com uma solução à base de álcool (antes de colocar a máscara);
• Colocar a máscara na posição correta. A borda dobrável deve estar para cima e a parte colorida para fora;
• Segurar a máscara pelas linhas de suporte/elásticos e adaptar a cada orelha;
• Ajustar a máscara junto ao nariz e queixo, sem tocar na face da máscara.

Retirar a máscara:

• Lavar as mãos com água e sabão ou solução à base de álcool;
• Retirar a máscara apenas segurando nas linhas de suporte/elásticos;
• Manter a máscara longe do rosto e da roupa, para evitar tocar em superfícies potencialmente contaminadas da máscara;
• Colocar a máscara no recipiente adequado e lavar novamente as mãos.

Contactos

Centro de Haloterapia de Aveiro Rua S. Sebastião, 103 A 3810-187 Aveiro

(+351) 234 046 381

(+351) 914 069 715

geral@centrodehaloterapiadeaveiro.com

Desenvolvido por Rilop

© 2021 Centro de Haloterapia de Aveiro